Jogo do Bicho logo

“Dinheiro não traz felicidade”: será mesmo?

mulher feliz

Quando falamos em felicidade, não há um só conceito que englobe seu significado para cada um de nós. O que é ser feliz, afinal? Viver sem preocupações? Viver boas experiências? Viver com conforto e ter tudo que desejar?

E o mais importante:

A quantidade de dinheiro que temos influencia nossa felicidade?

Todas estas questões vêm despertando o interesse de muitos pesquisadores, que investigaram a fundo a relação entre a felicidade e o dinheiro. Como o conceito “felicidade” é extremamente subjetivo, a maioria destes estudos partiu da autoavaliação pessoal dos participantes neste quesito: me considero uma pessoa feliz?

O resultado

Para a surpresa de muitos, as pesquisas vêm descobrindo que o dinheiro traz felicidade... Mas com algumas ressalvas.  Veja aqui como o dinheiro pode te trazer felicidade, de acordo com estudos recentes:

Economize ao invés de gastar dinheiro comprando bens de consumo

Um pesquisa divulgada recentemente pelo Escritório Nacional de Estatísticas do Reino Unido (ONS) demostrou que a riqueza acumulada se relaciona diretamente com o bem-estar e a satisfação pessoal. A pesquisa descobriu que os níveis de auto-estima e felicidade são maiores e os níveis de ansiedade são menores à medida que aumenta a riqueza da família da qual faz parte uma pessoa.

O estudo estatístico demonstra que a riqueza financeira líquida é a que mais se relaciona com o bem-estar pessoal e, em particular, com a satisfação pela vida. Outros tipos de riqueza, como a posse de bens (como carros, antiguidades, joias e selos) aparecem menos relacionados com a felicidade.

Assim, lembre-se de economizar! A sensação de estabilidade e liquidez financeira poderão te deixar mais tranquilo e diminuir o estresse do dia-a-dia.

Gaste seu dinheiro com experiências, e não com “coisas”

Para confirmar o conselho já dado, Dan Gibert, um professor de psicologia da Universidade de Harvard, afirma que os bens materiais perdem a graça com o tempo, não importa quão caro eles custaram. As experiências, entretando, criam boas memórias que nunca se apagam.

Gilbert descobriu através de uma pesquisa de opinião que 57% dos participantes afirmaram que o maior momento de felicidade de suas vidas foi durante alguma experiência vivida. E somente 34% relatou sentir esta felicidade apartir de compras materiais.

Então antes de comprar coisas caras, pense em experiências que você gostaria de viver, principalmente envolvendo pessoas queridas. O dinheiro investido nestas experiências terão muito mais impacto em sua felicidade que os bens acumulados!

Gaste seu dinheiro com outras pessoas

Pesquisas descobriram que tanto o dinheiro gasto com outras pessoas (presentes, ajudas, caridade, etc) como o dinheiro gasto juntamente com outras pessoas (viagens, jantares, festas...) causam maior sensação de felicidade.

Pesquisadores da Universidade de Harvard obtiveram interessantes resultados em uma pesquisa sobre gasto de dinheiro: gastar dinheiro com outras pessoas promove maior bem-estar físico e emocional. Com sermos capazes de influenciar a felicidade de uma pessoa (ou um coletivo) com presentes que compramos ou com doações e ajudas, nos sentimos muito mais satisfeitos do que ao comprar algo para nós mesmos.

Outro estudo publicado pela revista Psychological Science revelou que as experiências, quando compartilhadas com amigos e familiares, são muito mais significativas do que experiências caras vivenciadas individualmente.

Ou seja, uma viagem em família de carro, à mesma praia de sempre, em um apartamento dividido entre todos, pode trazer maior sensação de felicidade que uma viagem de luxo, a um destino exótico, porém feita sozinho.

Isso é explicado pela sensação de pertencimento que estas experiências nos despertam, principalmente em um grupo social que amamos e admiramos, como a família. Sentir que estamos conectados com entes queridos provoca um grande bem-estar emocional e sensação de segurança, primordiais para o nossa percepção de felicidade.

Conclusão

A felicidade está sim relacionada à quantidade de dinheiro que temos, mas está longe de estar relacionada com o acúmulo de bens materiais ou com uma vida de luxo. Ou seja, a felicidade está muito mais ligada ao uso que fazemos do nosso dinheiro do que com a quantidade de dinheiro que temos.

O que sim traz felicidade é compartilhar experiências com pessoas queridas, poder ajudar a quem precisa e a tranquilidade que nos traz a sensação de segurança financeira. Ter uma grande fortuna, objetos e bens luxuosos não parecem ter relação com nossa felicidade.

“Dinheiro nunca fez o homem feliz, nem nunca o fará, porque não há nada em sua natureza que produza felicidade. Quanto mais uma pessoa tem, mais ela quer. Mas quanto mais uma pessoa vivencia boas experiências e sentimentos... Mais ela será feliz.”

Benjamin Franklin

Fontes:

http://time.com/3545709/money-can-buy-happiness/

http://brasil.elpais.com/brasil/2015/09/05/economia/1441461835_564364.html

http://super.abril.com.br/historia/dinheiro-traz-felicidade

http://www.resenhavirtual.com.br/blog/o-dinheiro-traz-felicidade/

↶ Voltar às notícias